Do código ao negócio: por que você deve se preocupar com DevOps SRE, DevSecOps e FinOps?

O DevOps ganhou vida em 2008, quando foi apresentado como uma metodologia eficiente para o sucesso de startups e empresas baseadas em computação em nuvem. Desde então, o termo é usado para descrever uma espécie de revolução nos bastidores da tecnologia: mais do que alavancar a produtividade, o objetivo da tática é viabilizar a reorganização dos departamentos de modo a minimizar custos, reduzir conflitos e eliminar falhas de produto.  

Com predicados tão positivos, a evolução da estratégia — na mesma velocidade do desenvolvimento da programação — já era esperada. O DevOps SRE, o DevSecOps e o FinOps, que ganham cada vez mais espaço nas discussões do board, derivam do esforço inicial e são respostas urgentes às demandas corporativas de um mercado altamente competitivo.  

Boa leitura e bons insights! 😉 

A cultura DevOps 

Com origem na engenharia de software, o DevOps visa estabelecer uma comunicação mais fluida entre as equipes de Desenvolvimento e de Operações. O intuito é garantir a padronização dos ambientes e, com isso, facilitar a gestão dos recursos. Ganham os profissionais, que têm ferramentas mais aderentes à disposição; ganha o negócio, que se antecipa aos desafios do mercado. 

Na prática, a cultura DevOps é um método de desenvolvimento inteligente que defende que: 

  • a qualidade de um produto deve ser atestada pelo grupo que o idealizou e construiu; 
  • os times de desenvolvimento e de infraestrutura trabalhem juntos para agregar funcionalidades inovadoras às aplicações; 
  • o foco esteja na automação de processos, e não na replicabilidade de tarefas. 

Investir em DevOps, portanto, equivale a otimizar investimentos em tecnologia, extraindo o máximo valor de expertises complementares. 

O papel do DevOps SRE 

A sigla SRE refere-se a Site Reliability Engineering e, de forma geral, descreve “o que acontece quando um engenheiro de software é encarregado do que costumava ser chamado de operações¹”.  

O papel da equipe é assegurar que uma operação totalmente estável, incorporando aspectos da engenharia de software para aplicá-los à resolução de problemas em infraestrutura. A meta é criar sistemas escaláveis e confiáveis.  

Em um pipeline de entrega contínua, por exemplo, o SRE se encarregaria de construir e implementar as soluções — de acordo com as métricas definidas pelo time —, monitorando a infraestrutura ao longo de seu amadurecimento. Ou seja: é importante manter um background de negócios em cada etapa do trabalho. 

A vez do DevSecOps 

Como o próprio termo sugere, o DevSecOps agrega a preocupação com a segurança do desenvolvimento. Trata-se de um framework colaborativo, no qual a responsabilidade por criar aplicações protegidas é compartilhada e integrada do começo ao fim.  

A missão do DevSecOps envolve, por exemplo, automatizar barreiras de segurança, a fim de evitar lentidão no fluxo de trabalho, e implementar mecanismos capazes de aprimorar a qualidade do produto, blindando-o de ponta a ponta.  

De forma geral, o esforço de DevSecOps é menos um conjunto rígido de regras e mais uma mentalidade de trabalho — e de negócios. Ao ser absorvida pela equipe de desenvolvimento, ganhando atenção e importante, a iniciativa de segurança garante que os produtos ganhem robustez, credibilidade e competitividade.  

FinOps do começo ao fim 
Nem só de desenvolvimento, porém, vive a competitividade da empresa. A sinergia entre Operações e Finanças, aliando conhecimento técnico à visão de negócios, é imprescindível à saúde dos caixas — para além da saúde dos códigos. 

O FinOps é a maneira mais eficaz de gerenciar os custos na nuvem. Aliando três fases iterativas — informar, otimizar e operar —, a metodologia ajuda a rastrear gastos e, sempre que possível, a otimizá-los. Não necessariamente gastar menos, mas gastar melhor

Ao associar expertises de finanças, tecnologia e negócios, os frameworks de FinOps possibilitam que os times envolvidos trabalhem em ritmo acelerado e em alta performance, impulsionando a economia inteligente de recursos em nuvem. 

Não é exagerado dizer que, se você pretende continuar crescendo nos próximos anos, também deve se preocupar com DevOps SRE, DevSecOps e FinOps. Comece agora! 

Certifique-se de conhecer as possibilidades e, claro, de embarcar na jornada inteligente das soluções customizadas para negócios em nuvem.  🚀

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.